Boas Práticas

Projeto: REDE DE FRENTE - Rede de Enfrentamento à Violência Doméstica contra a Mulher de Barra do Garças - MT

Responsável: Augusta Prutchansky Martins Gomes Negrão Nogueira - Juíza de Direito da 2ª Vara Criminal da Comarca de Barra do Garças - MT

Público alvo: Vítimas, agressores e população em geral.

Objetivo: Buscar a igualdade de gênero como forma proativa e articulada junto à comunicade local, criando mecanismos de reflexão e mudança do modelo social, na efetividade dos direitos da mulher, bem como a aplicação humanizada da legislação pertinente ao combate da ciolência de gênero. São cinco os eixos de atuação da REDE DE FRENTE: 1) Rede de atenção/proteção social da violência doméstica; 2) Aplicação humanizada da Lei 11.340/2006 e do procedimento judicial no combate à violência contra a mulher; 3) Plano de educação permanente e capacitação para os agentes sociais; 4) Núcleo Acadêmico de Pesquisa; e 5) Projeto educacional e cultural de prevenção à violência doméstica nas instituições de ensino. 

Saiba mais.

 

Projeto: CICLO DE PALESTRAS SISTÊMICAS 

Responsável: Jamilson Haddad Campos - Juiz de Direito da 1ª Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher da comarca de Cuiabá-MT

Público alvo: Mulheres vítimas de violência doméstica e familiar.

Objetivo: Promover o atendimento de grupos de mulheres vítimas de violência, que participam de palestras sobre a relevância das gerações passadas (ancestrais), a programação neurolinguística e o ciclo da violência, com prática de exercícios sistêmicos e realização de constelações familiares. O projeto é realizado em parceria voluntária da facilitadora sistêmica Gilmara Thomé.

 

Projeto: ESPERANÇA-SOCIOEDUCAÇÃO

Responsável: Jamilson Haddad Campos - Juiz de Direito da 1ª Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher da comarca de Cuiabá-MT

Público alvo: Agressores de violência doméstica.

Objetivo: Promover o acolhimento dos agressores de violência doméstica, com atendimentos educativos para uma mudança comportamental, procurando evitar que novos atos de violência ocorram e, a partir de então, os agressores passem a ter um novo padrão comportamental, longe da cultura da violência, buscando conscientização e utilizando estratégias para que os comportamentos delitivos e inadequados não venham a acontecer novamente. O projeto é realizado em parceria com a Faculdade de Cuiabá (FAUC). 

 

Projeto: SERVIÇO DE ATENDIMENTO À VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA - SAV

Responsável: Eduardo Calmon de Almeida Cezar - Juiz de Direito da Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher da comarca de Várzea Grande-MT

Público alvo: Mulheres em situação de violência doméstica.

Objetivo: Levantar informações que contribuam para reduzir o número de casos de violência doméstica e estabilizar os lares que possuem ambiente conflituoso, no município de Várzea Grande/MT.

Por meio do Serviço de Atendimento à Vítima de Violência Doméstica (SAV), as mulheres em situação de violência doméstica são questionadas mensalmente, por telefone, sobre a situação atual da convivência entre as partes envolvidas no Projeto Bem de Família, a manutenção ou renúncia das Medidas Protetivas, a mudança de comportamento do agressor, a reiteração criminosa por parte do agressor e as mudanças ocorridas no ambiente familiar.

Identificada a necessidade de acompanhamento especializado, a vítima é encaminhada a instituições públicas e privadas parceiras que prestam serviços assistenciais nas áreas afins.

 

Projeto: GRUPO REFLEXIVO DE VÍTIMAS E AGRESSORES DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Responsável: Suelen Barizon - Juíza de Direito da Vara Única da Comarca de Matupá-MT

Público alvo: Mulheres vítimas de violência doméstica e agressores.

Objetivo: 

Promover reflexão acerca da violência contra mulher de forma a construir no agressor uma reorganização de seu padrão emocional frente a relações de gênero, contribuir para a redução de reincidências e desconstruir a ideia de aceitação muitas vezes observadas em agressores com relação ao poder maior (agressor) contra o poder menor (vítima).

São realizados encontros quinzenais com grupos de vítimas e agressores, de forma intercalada. Nos encontros são abordadas temáticas para reflexão, orientação e intervenção, tais como: história de vida; autoestima; cultura de paz; valores da família; amor e cuidado; traumas da violência e caminhos da superação. Quando há oportunidade de reconciliação, são agendados atendimentos individualizados ou com o casal.